27 de mai de 2011

Born This Way!

Vamos ouvir? Juntinhos? -n

Vocês já sabem que eu curto ouvir uma música ou outra da Lady Gaga de vez em quando. Vocês também sabem que ela lançou seu novo CD recentemente. E eu como mais um curioso, baixei o CD para ver se tinha alguma coisa que prestasse ou, no mínimo, algo que valesse a pena comentar.

Então, com o CD MP4 em mãos (isso antes dele estragar) pude escutar o álbum com calma e olhos, ou no caso ouvidos, clínicos. Não vou mentir que superestimei o álbum, já que os singles foram bons, achei realmente que o resto do álbum seria tão bom quanto, mas não foi.

Vou falar só das músicas com uma certa "importância", já que estou falando do 'Born This Way (Special Edition)' que possui 22 ou 23 músicas, não me lembro ao certo. E só um aviso: É difícil fazer uma resenha de um disco Pop, até porque não conheço muito sobre esse estilo.
Pra começar, acho que de 22 no mínimo 13 das músicas dizem, ao menos uma vez, "Jesus", ou "Jesus Cristo". Se foi porque ela é satanista ou porque ela só quer repercutir eu não sei.

A Marry The Night, faixa 1, que começa calminha e agita do nada, como qualquer outra música Pop. Da pra pular no refrão de boa e a bridge tem até uma guitarrinha. Em seguida Born This Way, que eu prefiro e muito a versão "Country Road", que vem no 2º CD, tem até gaita! (Y)

Government Hooker, faixa 3, é MUITO ruim. O sonzinho estranho que seria o "Riff" lembra e MUITO a musiquinha do BomberMan de SNES. Judas é a 4ª e todo mundo já a conhece, next one. Americano vem depois, é cantada uma boa parte em espanhol, e propositalmente lembra músicas latinas. É legal ela! "Laralalalalóh"

Hair é a primeira música que tenta reviver Kenny G, pois começa com um solinho de Sax. É uma boa música e possui uma boa letra, e sim, eu já li. A próxima é Scheiße que tem uma boa parte da letra em alemão. O refrão é legazinho, mas o verso estraga a música e muito.

A Blood Mary começa como uma música de filme de terror com comédia, no verso não muda muito, fica sombria no pré-refrão e não agita no refrão. Não se dá pra ouvir essa música pulando tu brocha, mano, mas é uma música boa. Ao contrário da Bad Kids, que tem uma intro até legalzinha, que lembra algum game de SNES, mas o resto da música a estraga.

O backing vocal da Fashion Of His Love dá um charme legal ao refrão, que lembra alguns clássicos do Pop. Não há muitos efeitos sonoros nessa música. Que nem já disse algumas vezes: Quanto mais simples, mais legal uma música Pop é!

A Heavy Metal Lover foi a maior decepção. Pelo nome e pelas fotos que saíram da Gaga junto a integrantes do Iron Maiden, cheguei a cogitar que essa música seria de Rock, MAS NÃO!!! Além de não ser Rock N' Roll a música é ruim.
Porém Electric Chapel tem um Riff muito foda de guitarra, ele sai no meio na música e a música dá uma piorada legal. Quando a guitarra volta, o Riff muda e se lembra Judas Priest, então começa um solo de guitarra MUITO FODA, sério. E a música acaba tão foda como começou.

The Queen, faixa 15, é legal tirando o pedaço em que a Lady Gaga imita um pato: "que-que-que-que-que-quequeen". No final da música ela muda drasticamente, ficando ainda mais legal. Um fato interessante, Lady Gaga tem esse nome por causa da "Radio Gaga", do Queen, e em um pedaço da letra ela diz "Killer Queen", nome de outra música do Queen.

You tem trema nesse "U" And I é a melhor música do álbum, indiscutível. Tem guitarra, bateria que não é eletrônica, piano e até o backing vocal é legalzinho. O solinho simples, mas eficaz por baixo do Refrão final é realmente bom. Outro fato, que eu acho positivo, é que a música lembra um pouco a We Will Rock You, do Queen. Não por ser parecida, mas sim pelo estilo.

The Edge Of Glory é apenas mais uma música boa em um CD mais ou menos. Tem até um solo de Sax a lá Kenny G e não vou dizer que estraga a música, mas se fosse de guitarra "quessá" ficasse mais legal?!

Recomendo você a não baixar o CD, mas sim ouvir as músicas separadamente e baixar só as que você gostar, porque o arquivo desse CD é pra mais de 200MB. As "essênciais" são Born This Way (Country), Americano, Hair, Fashion Of His Love, Electric Chapel, The Queen, Yoü tem trema nesse "U" And I e The Edge Of Glory

Resenhas são difíceis de fazer, algumas são chatas de ler, e essa aqui é os dois. Demorei 3 horas e meia pra escrever isso em uma Lan House cheia dos pés à cabeça de moleques de 12 anos e meio, mas isso não é desculpa. Sorry, anyway.

"Be Happy!"

[Sobre a foto: Essa não é a capa do álbum, mas é a melhor foto relacionada a ele.]

Post ao som de: Não ouvia nem meu pensamento enquanto escrevia esse post!

24 de mai de 2011

Experimentalismo!

Vamos experimentar? Experimenta, experimenta, experimenta!

WTF? Experimentalismo, do latim "experimentatis", do grego "experimentadopoulos", do suéco "experimentadovic", do russo "experimentdovski", do alemão "experimensalsichão", significa tentar algo novo.

Experimentar, vou usar essa palavra no sentido da música, quando os músicos já consagrados experimentam um novo estilo e, muitas vezes, acabam "caindo do cavalo", do latim "se fudelixtatis".

Algumas bandas da velha guarda ainda em tamo aí na atividade se vêem com a obrigação de inovar no som, no estilo, na banda em si. Na maioria das vezes os fãs mais fanáticos odeiam a nova escolha, já os "ecléticos" (palavrinha mais feia) podem amar até mais do que o estilo antigo.

Quando há uma mudança muito radical tipo o The 900 do Tony Hawk a banda pode, e provavelmente vai, ganhar fãs novos. Mas ganhará fãs novos do estilo novo, pois o velho é "ruim". Quase na mesma proporção que ganha fãs novos, ela perde os verdadeiros fãs, aqueles que acompanham a banda desde sempre e que gostam da boa e velha mesmice, a mesmice que trouxe a banda ao sucesso.

Um exemplo de mudança radical é a do velho para o novo Guns N' Roses, apesar do Axl ter avisado muitas vezes, as músicas terem vazado na net e o caralho a 4 mais um monte de coisas. Do Hard Rock oitentista, que elevou a banda ao status de uma das maiores bandas de todos os tempos, para um Rock Industrial do século XXI, apesar que o Nine Inch Nails já trazia esse estilo desde a época de noventa.
O Guns perdeu muitos fãs, indiscutível, e, acho eu, que não conseguiu repôr todas essas perdas com seus novos fãs. Axl Pato Roco Rose é um dos que "caiu do cavalo" com seu experimento.

Seguindo na linha Guns, mas não mais sobre ele. Duff McKagan, não sei muito de seus trabalhos pós-Guns, mas ouvi seu último disco e digo que é muito diferente do acostumado. Classificaria-se em um Punk Metal, não tão pesado quanto Motorhead e não tão Punk quanto Misfits.
O disco não vem fazendo muito barulho nas rádios por aí, eu só gostei de quatro músicas, e muitos fãs de Guns devem concordar comigo.

Um bom exemplo da boa e velha mesmice é o AC/DC, que vem desde de 1900 e antes de Cristo tocando o mesmo estilo, se duvidar não mudam nem os acordes. E continuam fazendo sucesso e adquirindo novos fãs a cada CD novo, que o maior "experimento" deles deve de ser a afinação da guitarra, um tom de voz diferente, um prato novo na bateria, nada mais do que isso.

Experimentar é algo perigoso, pode ser uma faca de dois gumes. Uma banda que não tem medo de experimentar é o Muse, o "Queen do século XXI". Por ser do século XXI, e a turminha de hoje ser bem "eclética", Muse consegue fazer sucesso, mas pergunte a alguém um nome de música do Showbiz, 1º CD da banda, poucos saberão responder.

Experimenta, experimenta, experimenta... Só se você tiver certeza se não está fazendo merda errado. Apesar que é fazendo merda que se aduba a vida errando que se aprende.

"Be Happy!"

[Sobre a foto: Experimentar Ashton Kutcher no lugar de Charlie O Mestre Sheen é pedir pra cair do cavalo.]

Post ao som de: Let Love Down - Lady Gaga

18 de mai de 2011

Elfen Lied!

Vamos assistir? Juntinhos? -n

Elfen Lied é mais um desenho anime que eu venho assistindo ultimamente. Criado por Magaka Lynn Okamoto e adaptado pela ARMS, o anime Elfen Lied contém 13 episódios que foram divulgados na TV Tokyo entre julho e outubro de 2004. O anime também possui um OVA, aonde a história se encaixa perfeitamente entre os episódios 10 e 11.

Elfen Lied conta a história de uma possível evolução da raça humana, os Diclonius. Nessa batalha pela criação de uma nova espécie, o anime gira em torno de interações, ideias, emoções e discriminações entre “homo sapiens”, que seriamos nós, os humanos, e mutantes parecidos com os humanos na forma, os Diclonius. Além de dois chifres na cabeça, eles são distinguíveis principalmente pelos vectors, que são braços invisíveis controlados mentalmente que têm o poder de manipular e cortar objetos dentro do alcance. Esses braços, ao que tudo apontam, saem das costas dos Diclonius.

A série é focada na jovem Diclonius Lucy, que foi rejeitada pelos humanos e, consequentemente, alimenta uma vingança mortal contra eles. Tem uma personalidade assassina e sente prazer em matar todos que vê pela frente. Quando criança foi humilhada, sofreu abusos, preconceitos e foi abandonada, daí todo esse ódio. Depois de jovenzinha, ela desconta tudo, obviamente, nos seres humanos. O que a impede de ser uma máquina completa de carnificina é a sua outra personalidade, Nyuu. Que surge após Lucy levar um headshot, literalmente, enquanto fugia de onde era mantida presa, sendo estudada por cientistas.

Infantil, inocente, boa e preocupada com todos, Nyuu se esquece da sua principal "missão": exterminar a raça humana. Enquanto ela está no comando, Lucy fica adormecida. Mas, basta sofrer um estímulo, como uma ameaça ou algum sentimento de raiva ou ódio, ou quando leva uma pancada na cabeça, que a personalidade assassina mostra a parte mais lol legal do anime: Mortes!!

Outros personagens fazem parte do enredo. O bondoso Kouta é o grande amor de Nyuu e tenta proteger todas as mulheres ao seu redor, desde a morte de sua irmãzinha. Ele encontra Nyuu pelada LOL na praia e protege a garota levando-a para sua casa, juntamente com Yuka, que é sua prima.

Nana é uma jovem Diclonius. Diferente de outras do mesmo tipo, não tem sentimentos assassinos ou de ódio pelos humanos, o que é meio chato. Mas como todo anime possui alguém que é do mau, mas é do bem, Nana ocupa essa posição. Já Mariko Kurama é uma máquina mortífera sem referências ao filme, por favor perfeita. Conhecida como Diclonius Supremo possui mais do que o dobro de vectors que Lucy, com alcance de 11 metros, enquanto os dela chegam a apenas 2 metros.

Mas o “gênio doentio” de Okamoto é revelado mesmo através de dois personagens: Kurama, chefe do centro de pesquisas de Diclonius, daonde Lucy fugiu, e seu chefe Kakuzawa. Enquanto este é um cientista sem escrúpulos que faz qualquer coisa para atingir seus objetivos, incluindo promover chacina sem sentido, aquele vê nas crianças inimigas naturais dos humanos. Logo, Kurama acredita que a “inocência” nada mais é do que a vontade de acabar com tudo o que a infância ainda não entende, o que é bastante coisa.

Resumindo, Elfen Lied é um amontoado de sangue, morte e destruição, com brincadeiras, amizade, sentimentos a flor da pele e muita nudez gratuita não que eu esteja reclamando. É a doença da mente adulta de um ser humano unida à meninice de seres que ainda nem sabem o que vieram fazer no mundo. Segundo o anime, crianças devem matar os adultos idiotas. Deve ser por isso que gostei tanto assim do anime!

O único ponto negativo do anime é a abertura. Na maioria das vezes se usa uma musiquinha animada, com cenas felizes, ou no caso desse anime seriam cenas de sangue e talz. Mas no caso do Elfen Lied se toca uma música calma, escrita em latim ou grego chata bagarai. E ao invés de partes do anime serem usadas na abertura, são usadas imagens, tipo quadros pintados por algum artista muito louco. Já a música de encerramento é legalzinha.

Recomendo você, maior do que no mínimo 16 anos, a assistir o Elfen Lied. Se você gostou do Gantz, gostará, com certeza, do Elfen Lied. Segue aqui o Link aonde eu assisto ele.

"Be Happy!"

Post ao som de: The Day That Never Comes - Metallica

14 de mai de 2011

PES 2011!

Vamos jogar? Juntinhos? -n

"Ué, um post sobre o PES?? Mas você não o odeia, Tiesco?" - É isso que vocês devem estar se perguntando! (sei que não, mas enfim)
Eu sempre fui Anti-PES de carteirinha, e já deixei isso claro aqui no Blog algumas vezes, mas tenho que admitir que este PES, o 2011, é um bom game.

Começa pela narração FANTÁSTICAMENTE PERFEITA feita pelo INOXIDÁVEL @silvioluiz (que eu não recomendo seguir). Já os comentários ficam por conta de Mauro Beting que, apesar de algumas vezes comentar algum outro jogo (por não ter nada a ver o comentário), ajuda você em algumas mudanças táticas. Como por exemplo quando ele diz que o meio-campo não jogou nada, você troca umas duas peças no meio-campo e as vezes, quando você escolher as peças certas, você consegue melhorar seu jogo.

O PESílvio, como eu costumo chamar, ainda não é um bom jogo. A jogabilidade ainda deve, e muito, quando comparado ao Winning Eleven. Porém, seus modos de jogo e a questão de estar "atualizado" o ajudam em comparação ao Winning Eleven, sendo que sua última versão original foi lançada em 2008. Mesmo dizendo que PES e Winning Eleven são a mesma coisa, só mudarem o nome, não é. O nome "PES" já vinha sendo usado desde sempre no lugar de Winning Eleven, só que lá pra Europa. Nas Américas e no Japão sempre foi Winning Eleven.

Voltando ao PESílvio, nessa nova versão possui um novo Campeonato: a Copa Santander Libertadores e todos os times que participaram da última edição. O problema é que esses times não podem ser atualizados e muito menos editados. Nem ao menos aparecem no menu "Editar", nem seus jogadores. O que é uma puta falta de sacanagem.

O Rumo Ao Estrelato, aonde você vive a carreira de um jogador profissional desde o primeiro contrato até a aposentadoria, é o grande destaque. O modo de câmera melhorou muito em relação ao da versão anterior. Por ser MUITO difícil jogar, já que você depende do seu time e você controla apenas um jogador, o seu, poucas pessoas jogam. É geralmente a última alternativa. Ah, cansou da Master Liga, jogue Rumo Ao Estrelato.

Na pressa de lançar o game logo, muitos times não são licenciados, estão, portanto, com nomes estranhos, mas os jogadores certos. Alguns sites dão listas com nomes de times certos, nomes de jogadores certos e até o de alguns estádios.

A versão de PS3 não há nem como comparar, pois dizem que a jogabilidade é de outro mundo. Pra mim é tudo a mesma bosta coisa. Na versão de PS3 você pode criar o seu próprio estádio. Para os Corinthianos é um prato cheio, imaginem comigo: Fazer um estádio e ser campeão da Copa Santander Libertadores em uma mesmo game! (Y)

Um fato engraçado é que o Messi, jogador "propaganda" do game, que é a foto do plano de fundo do menu e 'talz' não tem o seu nome narrado pelo Sílvião. Se nas outras linguas isso acontece eu não sei, mas creio que não também.

Eu só jogo o PESílvio por causa do Sílvio Luiz mesmo, e também porque eu fiquei umas cinco horas arrumando as contratações, os nomes dos clubes, dos estádios e o pior de todos, que foi o dos jogadores. ERAM MUITOS e o fato de você ter de ir de um em um acaba contigo. Estava morto quando terminei, mas valeu a pena. Isso se meu Memory Card não zuar comigo e acabar com o Save.

Recomendo que você jogue o PESílvio, mas com um Memory Card, de preferência. Porque para terem uma ideia o Ibrahimovic ainda está no Barcelona.

"Be Happy!"

Post ao som de: Arlandria - Foo Fighters

11 de mai de 2011

100 Posts!

Vamos festejar? Juntinhos? -n

Pra começar: "Vamos festejar" o que? 100 textinhos quaisquer? E mais uma coisa, nem todos eles escritos por mim!

Pra chegar neste centuagésimo post eu passei por muita coisa. Horas desperdiçadas escrevendo, outras horas procurando fotos, outras editando os vídeos, outras procurando abestados gente pra escrever alguma coisa pra mim, outras procurando temas e etc.

Não lembro dos meus primeiros textos e isso, de um certo modo, é bom. Por quê? Porque sim, óras. Quando comecei com o Blog eu escrevia tudo errado e os textos eram ruins, muito ruins, aliás.
Com o tempo, dizem, que eu fui melhorando. Mas ainda só consigo escrever informalmente, o que pode me atrapalhar em redações que venham a seguir.

Queria agradecer a algumas pessoas, e coisas, que me ajudaram a manter o Blog firme e talz:
Eu, Internet, Lan House, VideoPad, Wikipédia, Google Imagens, Google Tradutor, WeHeartIt, Twitter, RedTube YouTube, Blogger, 4Shared, Windows Media Player, Papai do céu, Mãe, Raíssa, Maním, Areition, Herminho, Coisinha fofa da Thami, Nayane, Bruna, Gustavo do Post do show do Iron Maiden e por último, e não menos importante, o povo que acessa o Blog, mesmo que seja sem querer! =D
(Apesar de pequena, foi difícil fazer essa lista!)

Se estava esperando mais alguma coisa aqui, se fuu pesames, mas é só isso mesmo!

"Be Happy!"

[Sobre a foto, ou melhor, sobre a falta de foto: Preguiça de procurar! =D]

Post ao som de: Alguma Coisa Na Sua Boca - MoedaDeVolta

5 de mai de 2011

Vídeo Aleatório!

Vamos filmar qualquer merda coisa? Juntinhos? -n

A muito tempo atrás eu já disse, no Twitter, que iria criar essa "sessão" no Blog. Por preguiça e falta do que filmar, mesmo valendo qualquer merda coisa, fui empurrando até hoje. Esses posts possuirão a mesma ideia dos Textos Aleatórios, só que, óbviamente, serão vídeos ao invés de textos. Um exemplo desses Vídeos Aleatórios é o vídeo sobre a virada de ano que postei aqui, só não tinha uma categoria pra ele até agora.

Meu primeiro Vídeo Aleatório, de fato, terá a participação de toda a turma da minha sala. Um vídeo com vários vídeos dentro dele, gravados em vários dias. Acho que segunda, terça e quarta desse mês!
Não sei qual foi o propósito de filmarmos, mas eu gostei de fazer. Pode ser que hajam mais desses no futuro.

Os Vídeos Aleatórios também não vão ter fotos... Preguiça, sacoméné.

Aqui o vídeo:


Post ao som de: Girls Of Summer - Aerosmith

4 de mai de 2011

Geografia!

Vamos desenhar mapas? Juntinhos? -n

Geografia, aquela matéria que no primário todos odeiam, no Ensino Fundamental também e no Ensino Médio nem se fala. Aquela matéria que deveria falar sobre localizações, mas fala mais sobre meio ambiente do que qualquer outra coisa. É Geografia ou Sociologia essa porra coisa?

No meu caso, por exemplo, estou no 3º Ano do Ensino Médio, como já disse algumas vezes, e nós não falamos nem sobre meio ambiente e muito menos sobre localizações. Nós, basicamente, apenas tiramos sarro da professora recém formada. Apesar que isso é Bullying, e não deve mais acontecer! Aham, Cláudia, senta lá!

No começo de tudo Geografia é aquela aula aonde você usa basicamente três coisas: régua, lápis e borracha, muita borracha, aliás. Você tem que desenhar mapas de cada um dos 34651576 países da Terra. E tem umas dona professoras chatas bagarai que não deixam tu nem copiar por cima do livro.

Com o tempo os mapas são deixados de lado, o que você pensa ser bom, mas aí começa a se estudar a terra da Terra. Só lembro que existe a erosão. O que é? O que causa? Não faço ideia.
Depois tu passa para montanhas, planícies e picos agudos por mundo a fora. A parte mais "legal" é quando chegam os vulcões. Eles são perigosos e cospem fogo, além de dormir!!

Depois dos vulcões começam, finalmente, as coordenadas. Mas tipo, você aprende hoje e amanhã já esquece. Sem falar dos fusos horários. Alguns livros dizem que no Brasil há quatro fusos horários, outros já dizem só três e eu não sei ao certo. Só sei que eu uso o mesmo de Brasília e foda-se não me importo com o resto.

Por último "estudamos" sobre o meio ambiente. As dona professoras passam enunciados enormes sendo que a resposta é sempre a mesma. E o pior é que elas sabem disso.
Dica: Comece falando da poluição, evolua para as indústrias e termine com a conscientização da população. Não tem erro.
Mesmo que queira, não há como fazer um texto sobre meio ambiente sem falar sobre essas três coisas.

Os livros de geografia sempre vêm com textos enormes, muitos gráficos e mapas. Toda professora que se prese não sabe escrever no quadro. Não possui capacidade de elaborar uma pergunta sequer. Sempre usam os textos dos livros e as perguntas dos livros. Nunca algo de alguma outra fonte Nem Arial, nem Times New Roman, nem Comic Sans!.

Minha professora de Geografia, aquela que é zuada, é mais uma dessas. Se duvidar ela, mesmo com faculdade, não sabe muito mais do que a gente. Se sabe não demonstra muito. Até porque tudo que perguntamos a ela, ela mentaliza, a lá Pai Galo, e diz não saber a resposta. Sempre fala que vai pesquisar, mas até agora não respondeu ainda.

Se você gosta de Geografia, se interne bom pra você. Se não... (Y).

"Be Happy!"

[Sobre a foto: O único mapa que eu gostaria de saber ler!]