24 de mai de 2011

Experimentalismo!

Vamos experimentar? Experimenta, experimenta, experimenta!

WTF? Experimentalismo, do latim "experimentatis", do grego "experimentadopoulos", do suéco "experimentadovic", do russo "experimentdovski", do alemão "experimensalsichão", significa tentar algo novo.

Experimentar, vou usar essa palavra no sentido da música, quando os músicos já consagrados experimentam um novo estilo e, muitas vezes, acabam "caindo do cavalo", do latim "se fudelixtatis".

Algumas bandas da velha guarda ainda em tamo aí na atividade se vêem com a obrigação de inovar no som, no estilo, na banda em si. Na maioria das vezes os fãs mais fanáticos odeiam a nova escolha, já os "ecléticos" (palavrinha mais feia) podem amar até mais do que o estilo antigo.

Quando há uma mudança muito radical tipo o The 900 do Tony Hawk a banda pode, e provavelmente vai, ganhar fãs novos. Mas ganhará fãs novos do estilo novo, pois o velho é "ruim". Quase na mesma proporção que ganha fãs novos, ela perde os verdadeiros fãs, aqueles que acompanham a banda desde sempre e que gostam da boa e velha mesmice, a mesmice que trouxe a banda ao sucesso.

Um exemplo de mudança radical é a do velho para o novo Guns N' Roses, apesar do Axl ter avisado muitas vezes, as músicas terem vazado na net e o caralho a 4 mais um monte de coisas. Do Hard Rock oitentista, que elevou a banda ao status de uma das maiores bandas de todos os tempos, para um Rock Industrial do século XXI, apesar que o Nine Inch Nails já trazia esse estilo desde a época de noventa.
O Guns perdeu muitos fãs, indiscutível, e, acho eu, que não conseguiu repôr todas essas perdas com seus novos fãs. Axl Pato Roco Rose é um dos que "caiu do cavalo" com seu experimento.

Seguindo na linha Guns, mas não mais sobre ele. Duff McKagan, não sei muito de seus trabalhos pós-Guns, mas ouvi seu último disco e digo que é muito diferente do acostumado. Classificaria-se em um Punk Metal, não tão pesado quanto Motorhead e não tão Punk quanto Misfits.
O disco não vem fazendo muito barulho nas rádios por aí, eu só gostei de quatro músicas, e muitos fãs de Guns devem concordar comigo.

Um bom exemplo da boa e velha mesmice é o AC/DC, que vem desde de 1900 e antes de Cristo tocando o mesmo estilo, se duvidar não mudam nem os acordes. E continuam fazendo sucesso e adquirindo novos fãs a cada CD novo, que o maior "experimento" deles deve de ser a afinação da guitarra, um tom de voz diferente, um prato novo na bateria, nada mais do que isso.

Experimentar é algo perigoso, pode ser uma faca de dois gumes. Uma banda que não tem medo de experimentar é o Muse, o "Queen do século XXI". Por ser do século XXI, e a turminha de hoje ser bem "eclética", Muse consegue fazer sucesso, mas pergunte a alguém um nome de música do Showbiz, 1º CD da banda, poucos saberão responder.

Experimenta, experimenta, experimenta... Só se você tiver certeza se não está fazendo merda errado. Apesar que é fazendo merda que se aduba a vida errando que se aprende.

"Be Happy!"

[Sobre a foto: Experimentar Ashton Kutcher no lugar de Charlie O Mestre Sheen é pedir pra cair do cavalo.]

Post ao som de: Let Love Down - Lady Gaga

Nenhum comentário:

Postar um comentário