28 de fev de 2013

XBox 360!

Vamos jogar na casa do amiguinho? Juntinhos? -n

Antes de tudo eu não gostaria de me desculpar pelo tempo sem postar nada. Sei que ninguém entra no blog todo dia pra ver se tem post novo, então foda-se também. O site é meu e posto quando me der na telha, e isso pode se ler também como "quando eu conseguir escrever algo".

Enquanto todo mundo está por aí falando das especificações técnicas e todas as promessas do PlayStation 4, só agora (mas nem tão agora assim) que eu fui descobrir o XBox 360. Tecnicamente eu não sei dizer qual é melhor, XCaixa ou Play3, ou qual eu preferiria pra comprar, e esse também nem é o assunto principal do post.

A ideia de ir jogar o videogame mais legal na casa de seu amiguinho mais rico é bem antiga, eu já praticava isso desde a época que estava enjoando de meu Super Nintendo e me matava de gritar os coleguinha na porta de suas casas pra jogar o PS1. Fazendo isso, você desligava sua TV, que sua mãe falava que cegava e ia gastar energia elétrica na casa de outro, pra depois ouvir a mãe dele mandar você se afastar da tela.

O grande problema de ter que depender de outro pra jogar os novos e mais fodas games é que você não vai poder zerar o jogo, não vai poder liberar os achievements, não vai poder ficar de boa de zoa na lagoa e ainda por cima não terá recordes para bater, simplesmente terá de aturar e se contentar com as partidas em multiplayer ou na campanha cooperativa, que é massa na maioria das vezes.

Você não pode ir na casa de seu amigo todos os dias, ele nunca irá te emprestar o videogame, se ele ficar bravo por você estar ganhando a probabilidade de ele desligar o jogo são grandes, se ele vencer você não pode reclamar, na pausa pro lanche você fica sem graça e mesmo com fome diz que não quer, o dono da casa sempre vai ser o Player1 e jogar com o controle bom e mesmo ele sabendo que seu controle é muito pior ele não irá acreditar quando você culpar o analógico pelo gol tomado!

Porém, ir na casa do coleguinha é uma ação legal, passar tempo com um amigo, fazendo uma coisa que ambos gostam e ainda por cima gastando uma luz que não é sua, ou seja, jogar XBox sem custo algum. Ache um amigo com XBox 360 ou PS3 ou Wii ou um PC foda e explore o videogame dele você também! =D

Sabe o guri do Nintendo SIXTY-FÓÓÓUURRR? Abaixo temos a versão pegadinha dele:



"Be Happy!"... Não se contentando em matar 13 manolos em seguida no Deathmatch do Black Ops 2, mas também ganhando de 7x1 do dono do videogame no FIFA 13 com o inigualável e mitológico Jeju United.

[Sobre a foto: Presente da sua tia no Natal do ano passado.]

Post ao som de: Não ouvia nada.

15 de fev de 2013

Dentista!

Vamos colocar uma broca na
boca e perfurar até a alma? Juntinhos? -n

Antes de começar realmente, queria já deixar claro que hoje em dia eu não tenho nada contra dentistas, aliás, minhas últimas visitas à esses doutores tem sido tranquilas. Este texto que vai ser lido por usted apenas traz os vários traumas que eu passei e que você provavelmente também.

Ontem eu tive uma consulta ao dentista, óbviamente eu não tenho mais pavor, porém, essa rara ocasião de ida ao doutor dos dentes me fez lembrar de tudo que eu já passei nessa coisa de "ir ao dentista". Após, sei lá, os 15 anos, o medo já não está presente, não há o desespero e o pavor da broca ou de ser xingado e obrigado a parar com os doces. Aos 15 você já nem come mais doces, quase.

Ao chegar no consultório de dentista você tem que passar por algumas fases. A primeira delas é a espera, que é interminável, uma obturação que demora 30 minutos parece o dobro e por aí vai. Pra você passar o tempo mais depressa, sempre, eu disse sempre, são disponibilizadas revistas variadas para seu deleite. Isso não é ruim, aliás, é legal ler revistas de 7 ANOS ATRÁS!! Quanto será que custa uma revista nova? Pelo menos colocasse uma do mesmo ano. O pior de tudo é que são revistas de fofoca!!! Nem pra ter uma revistinha do Batman, ou sei lá. Começa sempre bem.

Após a espera tentando ocupar a mente com outra coisa e fingir que não está ouvindo a broca furando o dente do coleguinha anestesiado lá dentro. Sua vez chega e aí você se desliga do mundo, tudo que você consegue pensar é "Mano do céu, como essa luz é forte!". A sensação de que você vai morrer e de que aquela luz é a "luz no fim do túnel" fica presente durante todo o procedimento.

Engraçado mesmo é que quando você é criança, para uma simples obturação, você toma uma anestesia. Quando você cresce, já com seus 15 anos, a anestesia não é mais necessária e é aí que você percebe que uma obturação sem anestesia dói bem menos. Com a anestesia você toma uma injeção, que dá a impressão de que a agulha foi parar dentro do seu cérebro, de tanto que o mano empurra, e depois que ela passa, tu fica com dor. Já sem a anestesia, não há injeção, quase não se sente nada, só uns cutucãozinhos e tá pronto, sem sequelas.

Engraçado mesmo é que você ia no dentista, tomava a anestesia, tinha apenas um dente obturado e quando passava o efeito da droga você sentia como se o doutor tivesse pegado uma batedeira e ligado em sua boca. Dentes que ele nem tocou, e que antes da consulta estavam perfeitamente normais, começam a doer com uma simples encostada do miojo, que é a única coisa que se pode comer.

Não bastasse todo esse pânico que os dentistas causam nas crianças, quando eu era criança e tinha uma locadora de filmes, adivinha qual o único filme no gênero de terror que eu via a capa e associava à coisas do meu dia a dia? O DENTISTA. Nunca tive coragem de ver esse filme, mas porra, é um filme de terror e eu vou no dentista, É ÓBVIO que ele vai me matar uma hora ou outra!!!

Fobias à parte, você provavelmente, como criança mimada que é, deve ter exagerado no que sentia, fazendo drama pra seus pais terem pena e você ganhar um presente. Eu ganhava. Mas como já disse, o tempo passa e "ir ao dentista" vira uma coisa rotineira, mesmo que você não use aparelho nem nada.

"Be Happy!"... Assistindo o trailer do filme que eu citei e que nunca vi e provavelmente nunca verei! Clique aqui pra ver o trailer em inglês porque é impossível achar legendado. =S

Post ao som de: Codependence - Sixx: A.M.

13 de fev de 2013

Detona Ralph!

Vamos assistir? Juntinhos? -n

↑, ↑, ↓, ↓, ←, →, ←, →, B, A, Start. 

Na tentativa desesperada de voltar à ativa no blog, venho aqui hoje pra tentar escrever as resenhas que eu tanto adoro, só que não. Mas esse filme, que você já sabe qual é pelo nome do post e pela foto aqui do lado, realmente merece uma resenha, não pode passar batido. Ainda mais porque eu esperei bastante tempo pra assistir ele.

Detona Ralph é mais uma empreitada de animação da Disney, só que sem a Pixar, que, diga-se de passagem, prometia muito desde o começo. Quando vi o primeiro trailer, acho que há uns 5 meses, fiquei abismado de emoção e brilhinho nos olhos quando vi em uma mesma sala Robotnik, Bowser, um zumbi, Kano, talvez Noob Saibot (que agora é só Noob), fastasminha do Pac-Man, Zangief e M. Bison (que na verdade é Mike Bison e não Mister Bison!! Sim, sua infância foi uma mentira).

Quando peguei pra ver o filme ontem, não esperava nada da história, pensei que fosse mesmo um filme apelativo com muitos direitos de imagem envolvidos, mas não foi bem assim. Detona Ralph logo em seus primeiros minutos nos deixa num nível de nostalgia difícil de explicar. Não só isso, com o desenrolar da história você percebe que não é uma coisa superficial, mas um bom filme com um bom roteiro e divertido de se ver.

O filme conta a história do Detona Ralph, o vilão do game de fliperama Conserte Felix Jr., em busca de aceitação após sofrer bullying por mais de 30 anos, basicamente você só precisa saber disso.

Achei muito interessante o modo que os produtores conseguiram misturar o mundo dos videogames introduzindo os personagens famosos que adiquiriram direito de imagens interagindo entre si. Como quando Ryu para o Shoryuken no meio e chama Ken para tomar uma breja. Ou quando estão todos os vilões em uma espécie de Vilões Anônimos e o Kano vai lá e arranca o coração do zumbi ao seu lado *-*. Até colocaram um cara do mal pra ser tipo o Último Boss do jogo, digo, filme.

Cheio de personagens carismáticos, Detona Ralph realmente é um filme divertido que dá pra assistir várias vezes. Após assistir fiquei com vontade de procurar games de arcade pra brincar, porque a sensação nostálgica, mesmo quando é um personagem criado pela própria Disney, pro filme, é enorme.

Realmente recomendo esse filme pra você que gosta de videogames, pra você que gosta de animações e também pra você que só quer ver um filme legal, com uma história envolvente. Sério, eu gostei bastante. Mas leve em conta que o Bison, por exemplo, não vai aparecer pra acabar com o Ryu e o Ken que estão ajudando o Ralph! Eles só fazem uma ponta no filme, =D.

"Be Happy!"... Fazendo *-* quando o Sonic aparece dando uns avisos num telão e gritando bem alto: "CHUPA, MÁRIO!"

Post ao som de: Rain Song - Girls Dead Monster

4 de fev de 2013

Falta de Avisos!

Vamos dar desculpas? Juntinhos? -YEP

WHAT'S UP MANOLETS DA VIBE MAROTA DO ROCK N' ROLL E DOS VIDEOGAMES DA VIDIS? Sim, esse foi o "oi" mais tosco de todos desde o começo do blog. Enfim, olá pessoas que acompanham o blog quando eu mando o link, como vão?

A audiência desse blog consiste em poucos leitores e alguns desavisados que passam sem querer, mas isso não significa que um aviso de férias seja indispensável. A lacuna enorme que esse blog passou não foi porque eu desisti dele, ou porque eu passei por um daqueles momentos que não escrevo nem frases pro Twitter, eu simplesmente tava de férias.

Um aviso prévio já viria a calhar, só pra não ficar um buraco do nada na home. Mas eu não fiz isso, por que?, eu não sei, só não fiz mesmo.

Bom, já que estamos aqui, vou listar alguma coisas que ocorrerão (ou não, nunca se sabe) nesse ano aqui no blog:
1.: Vou tentar escrever pelo menos umas duas vezes por semana. Isso não é uma promessa, até porque não faria diferença, já que eu raramente cumpro promessas, até por isso não faço muitas.

2.: Cada vez mais procurarei "outras opiniões" pra colocar aqui, ou seja, vou tentar empurrar o dever de escrever textos paras amigos meus enquanto eu não faço nada.

3.: A não ser que ocorra uma reviravolta enorme, eu pararei de gravar Vlogs (ou Videocasts, chame como quiser). Por mais difícil de acreditar que seja, gravar é muito difícil, o equipamento que eu tenho não ajuda, editar enche o saco e eu não tenho ajuda nenhuma. Aliás, gravar pra quê? Eu sempre dizia que gravava para meus amigos, pra eles rirem, mas é claro que eu sempre quis ter repercussão. E como, no último vlog, eu tive que gravar durante duas horas, editar durante cinco e esperar por mais duas enquanto o vídeo upava pra que no final das contas ele fosse bloqueado pelo YouTube por DIREITOS AUTORAIS, depois fosse desbloqueado, mas tivesse apenas 95 views e 6 likes. Muito trabalho pra muita dor de cabeça e pouco feedback. Quem sabe se eu tiver ajuda eu continue, mas é bem improvável, desculpe.

4.: Também não sei quanto aos gameplays e cover. Os gameplays dão muitos bugs na hora de gravar e como eu não tenho os adaptadores necessários pra gravar o áudio com qualidade os covers não ficam pra tráz.

5.: Vou, cada vez mais, escrever de um jeito mais relaxado, com mais piadas, pois assim eu passo um pouco da graça que eu me imagino falando o tal texto pra você, caro leitor. Colocarei expressões que eu uso na fala, expressões em inglês e muitos erros de português propositais.

Por enquanto não vem mais nenhum aviso na cabeça, se caso vier eu falo pelo Twitter ou pelo Facebook. Mas acho que esses são mesmo os principais. Se você está de acordo com eles, Ok, se não, venha falar comigo e quem sabe consigamos resolver algo.

FIM DAS FÉRIAS DO BRÓGUE, VAMOS VORTÁ A ISCREVÊ NESSA BUDÉGA, POURA!! =D

"Be Happy!"... E seja bem-vindo de novo.

Post ao som de: Alien Nation - Scorpions