12 de abr de 2013

Gamer, Não Assassino!

Me deixa jogar GTA! =(
Vamos ler? Juntinhos? -n

Antes de tudo venho por meio deste pedir desculpas pela falta de posts. Estou em semana de provas (mentira), tenho estudado muito (também mentira), me tem faltado tempo e criatividade (parte verdade isso) e tenho preguiça de postar (MUITO verdade).

Como os mais chegados meus devem saber, eu fiz o concurso pra Polícia Militar, sim, talvez eu vá dar uns técs em corinthianos criminosos por aí. No concurso fiz a redação e tirei uma nota absurda. Nunca pensei que conseguiria algo assim, até porque sou bem pessimista. O tema é sobre a violência que os games trazem pras pessoas e como isso as influencia, blablabla, papo de mídia contra os games e etc.

Já que fala sobre games, vou escrever a redação aqui, porquê não?! Segue abaixo minha defesa aos games, tão injustiçados hoje em dia.

"Na sociedade em que vivemos a tecnologia está presente em todos os momentos. Essa tecnologia foi desenvolvida principalmente pensando em facilitar o nosso dia-a-dia, mas ela não se restringe apenas a isso, o nosso lazer é, muitas vezes, proporcionado por produtos criados a partir dessa tecnologia, os videogames são um exemplo.

Os videogames proporcionam a diversão de nuitas crianças e adolescentes por todo globo, porém há muita discussão em cima disso. Os games de hoje em dia são muito apelativos e, cada vez mais, próximos de nossa realidade, com gráficos realistas, cenários baseados em cidades reais, etc. Muitos pais afirmam, que ao jogar games violentos, seus filhos tenderão à imitar os atos do 'herói' do jogo.

O game GTA (Grand Theft Auto), por exemplo, é famoso pela sua extrema violência. Porém jogar a culpa nos games é fácil. Esse jogo citado é apenas indicado para maiores de dezessete anos, e nessa idade uma pessoa só é influenciada pelo game se tiver mente fraca.

Videogames não são de todo mal, eles lhe ajudam, por exemplo, a tomar decisões mais rapidamente, melhoram seus reflexos, ajudam no aprendizado de uma língua estrangeira. Os pais veem casos isolados que a mídia mostra e tiram conclusões precipitadas. Vamos imaginar quantas pessoas no mundo jogam qualquer joguinho de qualquer plataforma. Se a afirmação de que games influenciam tanto assim as pessoas e as torna violentas, teríamos muita gente vestida de mago por aí brigando por potes de ouro. Games não tornam uma pessoa violenta, você pode sim ficar irritado ao perder, mas não confunda um assassino com um gamer."

"Be Happy!" =D

Post ao som de: The Zoo - Scorpions

Nenhum comentário:

Postar um comentário